Pular para o conteúdo principal

CARTA DE REPÚDIO DOS POVOS TIMBIRA DE TOCANTINS E MARANHÃO.


       Nós povos indígenas Apinajé, Krahô, Krikati, Gavião, Apaniekrá, Romkokamekrá e Krahô- Kanela reunidos nos dias 08 a 11 de maio de 2013, na terra indígena Apinajé, município de Tocantinópolis (TO), manifestamos nosso veemente repúdio a qualquer pretensão do governo brasileiro de sucumbir às tentativas de ingerências das bancadas ruralistas e evangélicas no sentido de alterar ou interferir no procedimento de demarcação de terras indígenas vigente. Salientamos que esse procedimento administrativo atualmente conduzido pelo MJ- Ministério da Justiça e pela FUNAI- Fundação Nacional do Índio é fruto de uma árdua luta dos povos indígenas brasileiros, sedimentada no reconhecimento, pela Constituição Federal de 1988 de nossos direitos originários sobre nossos territórios tradicionais.
     Resistimos ao vergonhoso processo de ocupação fundiária brasileira, historicamente marcada, pela usurpação e esbulho violento de nossos territórios. Hoje, o agronegócio, além da violência física , investe em novas frentes de ataques, a mais conhecida é a coalizão política de setores conservadores, que atuam dentro do Congresso Nacional, na tentativa de desconstruir nossos direitos já garantidos dentro das diversas esferas do Estado brasileiro.
      Tal investida é explicitada por inúmeras propostas nefastas de intervir no reconhecimento de nossos territórios tradicionais. Nesses termos, repudiamos a PEC 215 e sua tentativa de transferir para o poder legislativo, fortemente influenciado por representantes das bancadas ruralistas e evangélicas, o dever de reconhecer territórios que historicamente, invadiram, grilaram e destruíram.
     Repudiamos a Portaria 303 da AGU- Advocacia Geral da União e sua tentativa de intervir no procedimento demarcatório e limitar nossa autonomia sobre nossos territórios. Ao pretender autorizar o Estado brasileiro a utilizar nossos territórios sem nossa anuência, essa Portaria 303 da AGU, afronta diretamente o disposto na Convenção 169 da OIT -Organização Internacional do Trabalho e contraria as recomendações da Declaração da ONU Sobre os Direitos dos Povos Indígenas.
       A intensa mobilização e articulação política dos setores energéticos, latifundiário e do agronegócio junto ao Governo Federal, foi pauta constante de nossa assembleia. Extremamente indignados e preocupados com esse tipo de articulação política -empresarial, denunciamos o aumento da utilização da força policial contra nossos povos e os assassinatos e criminalização de lideranças indígenas em áreas de conflitos em todo o País.
     Exigimos o amplo respeito à nossos direitos constitucionais, à Convenção 169 da OIT e, assim, a imediata revogação, cassação ou anulação de qualquer medida; proposta legislativa, portaria ou interferência política que afete a autonomia e os direitos de nossos povos.


Terra Indígena Apinajé, 11 de maio de 2013.


Os representantes dos povos Timbira dos Estados de Tocantins e Maranhão;
Apinajé, Krahô, Krikati, Gavião, Apaniekrá, Romkokamekrá e Krahô- Kanela.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

Morre a líder e cacique Maria Ireti Almeida Apinajé
       Informamos com profundo pesar e tristeza a todos os parentes (lideranças) indígenas de outros povos do Estado do Tocantins e do Brasil, bem como aos aliados da causa indígena e parceiros ambientalistas e indigenistas, o falecimento de Maria Ireti Almeida Apinagé, ocorrido no último dia 02 de junho de 2017, sexta-feira. O triste fato aconteceu na aldeia Brejinho na Terra Apinajé, onde morava com familiares. As causas ainda não foram totalmente esclarecidas ou determinadas.      Apesar da idade, Maria Ireti Almeida Apinagé, era mulher forte, guerreira e militante incansável da causa indígena. Na condição de mulher indígena, mãe, avó, trabalhadora, conselheira e liderança do povo Apinajé, cumpriu sua missão participando de inúmeras mobilizações e manifestações locais, regionais e nacional em prol da vida dos povos indígenas. Assim Maria Ireti Almeida Apinagé com sua força cultural, sabedoria, simplicidade, conhecimento de causa, s…

MANIFESTO DO POVO APINAJÉ

NÃO AO GOLPE; NENHUM DIREITO A MENOS!
      Nós caciques e lideranças Apinajé, incluindo jovens estudantes, professores, conselheiros, mulheres e idosos reunidos nos dias 02, 03 e 04 de maio de 2017 na aldeia Prata, T.I. Apinajé no município de Tocantinópolis – TO no Norte de Tocantins, somando mais de 100 pessoas viemos a público manifestar contra qualquer reforma e retrocesso conduzidos pelo governo Michel Temer que estejam comprometendo nossas conquistas e ameaçando nossos direitos sociais, ambientais e territoriais garantidos na Constituição Federal do Brasil.          Consideramos que esse governo, junto com a maioria dos parlamentares do Senado e da Câmara e parte do Judiciário têm atuado de forma agressiva para retirar nossos direitos constitucionais. Nos últimos anos estamos sendo violentamente ignorados e agredidos por setores empresarias e políticos articulados dentro dos três poderes da Republica.         Com a finalidade de roubar nossos territórios, esses parlamentares tent…

AGROECOLOGIA

Articulação Tocantinense de Agroecologia-ATA e Povo Apinajé, define data e local do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia      Durante o 2º Encontro Tocantinense de Agroecologia realizado no Quilombo Malhadinha, surgiu a proposta de realizar o próximo encontro na Terra Indígena Apinajé, localizada no município de Tocantinópolis no Norte de Tocantins. Dessa forma, na última terça-feira, 21 de março de 2017 realizamos na aldeia Brejinho, Reunião da Articulação Tocantinense de Agroecologia - ATA, na qual discutimos as possibilidades e condições do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia ser realizado na T.I. Apinajé.        Após intensa conversa entre as lideranças da Associação União das Aldeias Apinajé - Pempxà, Associação Pyka Mex e representantes da APA-TO, COEQTO, MIQCB, MAB, CIMI e UFT Campus de Tocantinópolis-TO, decidimos que o 3º Encontro Tocantinense de Agro ecologia será mesmo realizado na aldeia Patizal, na T.I. Apinajé, no período de 23 a 26 de novembro de 2017        Selma…