Pular para o conteúdo principal

EDUCAÇÃO

JOVENS APINAJÉ, PARTICIPAM DE CURSO DE INCLUSÃO DIGITAL EM TOCANTINÓPOLIS
O Prof. Lucas P. de Brito Ferros (centro) aplicando disciplinas para os alunos indígenas no Centro de Inclusão Digital em Tocantinópolis. (foto: Iran R. Veríssimo Apinagé. Agosto de 2014)
          Desde inicio de agosto, jovens Apinajé estão frequentando Curso de Inclusão Digital na cidade de Tocantinópolis (TO). No momento 17 adolescentes, sendo 14 homens e 03 mulheres, estão participando das aulas no Centro de Inclusão Digital naquela cidade. O professor Lucas Pereira de Brito Ferros informou que está aplicando as seguintes disciplinas para os alunos (as) indígenas:
  • Introdução ao processamento de dados
  • Sistema Operacional Windows 7 Ultimate
  • Curso de digitação
  • Microsoft OfficeWord 2010
  • Microsoft Office Excel 2010
  • Microsoft Powerpoint 2010
  • Placas de Internet 
Aspecto da sala de aula do Centro de Inclusão Digital. (foto:
Iran R. Veríssimo Apinagé)

       Para frequentar o curso os alunos estão enfrentando muitas dificuldades, por que no período da noite estudam na Escola Estadual Indígena Mãtyk e ou sair da sala de aula se deslocam de carona em ônibus do Transporte Escolar direto pra cidade de Tocantinópolis, onde dormem num espaço cedido por uma religiosa alemã (conhecida como Irmã Rita) e no período da manhã das 09h30min às 10h30min assistem as aulas no Centro de Inclusão Digital.
     Diante desses desafios e dificuldades vividas por esses estudantes, entendemos que os mesmos carecem de mais apoio da Prefeitura Municipal de Tocantinópolis (TO) e da própria FUNAI-Fundação Nacional do Índio, para frequentar as aulas na cidade. O ideal é que o curso fosse ministrado na Escola Estadual Indígena Mãtyk da aldeia São José, onde existe um Laboratório de Informática cujos computadores deveriam servir para a Pesquisa, o Estudo, a Formação e o desenvolvimento dos estudantes. Mas não é bem isso que está acontecendo, há mais de dois anos essas máquinas estão em situação de quase abandono, conectados a uma rede de internet via satélite que também não funciona.
     Nestas circunstancias cobramos esclarecimentos e explicações da Secretaria de Estado da Educação do Tocantins sobre essa situação de abandono e sucateamento do citado Laboratório de Informática da Escola Estadual Indígena Mãtyk da aldeia São José em Tocantinópolis. Desejamos saber por que os computadores não estão funcionando e sendo utilizados pelos alunos desta Unidade Escolar? Por que a internet também não funciona? É inaceitável que em plena Era Digital os alunos (as) de uma Escola Pública fiquem prejudicados em seus Estudos por culpa da negligência e da perversa gestão do patrimônio público.
Antena do GESAC abandonada no Posto de Saúde  da aldeia
São José. (foto: Antônio Veríssimo. agosto de 2014)
            Em 2004, foram instalados no Posto de Saúde da aldeia São José uma antena parabólica e cabos. No local seria implantado o Sistema de Inclusão Digital via satélite conhecido como GESAC que nunca foi concluído, pois os computadores nunca chegaram à aldeia, somente a antena parabólica e os cabos continuam instalados no local, abandonados e enferrujando.  Esses são mais dois casos em que o dinheiro público foi aplicado em equipamentos que foram implantados em aldeia com a meta de não funcionar e nunca beneficiar a comunidade.
        Recomendamos que pelo menos esse Laboratório de Informática da Escola Estadual Indígena Mãtyk na aldeia São José seja recuperado e volte a funcionar possibilitando que os jovens ao concluírem o Curso de Inclusão Digital na cidade de Tocantinópolis (TO) tenham condições de continuar aprofundando e ampliando mais seus conhecimentos na área da informática e, ou mesmo tempo poder acessar a internet para Estudar, Pesquisar e se Informar, sem ter que sair da aldeia pra fazer isso.
          A previsão para conclusão do Curso de Inclusão Digital que está sendo ministrado em Tocantinópolis é até 12 de dezembro do corrente ano.


Tocantinópolis – TO, 13 de setembro de 2014



Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

Morre a líder e cacique Maria Ireti Almeida Apinajé
       Informamos com profundo pesar e tristeza a todos os parentes (lideranças) indígenas de outros povos do Estado do Tocantins e do Brasil, bem como aos aliados da causa indígena e parceiros ambientalistas e indigenistas, o falecimento de Maria Ireti Almeida Apinagé, ocorrido no último dia 02 de junho de 2017, sexta-feira. O triste fato aconteceu na aldeia Brejinho na Terra Apinajé, onde morava com familiares. As causas ainda não foram totalmente esclarecidas ou determinadas.      Apesar da idade, Maria Ireti Almeida Apinagé, era mulher forte, guerreira e militante incansável da causa indígena. Na condição de mulher indígena, mãe, avó, trabalhadora, conselheira e liderança do povo Apinajé, cumpriu sua missão participando de inúmeras mobilizações e manifestações locais, regionais e nacional em prol da vida dos povos indígenas. Assim Maria Ireti Almeida Apinagé com sua força cultural, sabedoria, simplicidade, conhecimento de causa, s…

MANIFESTO DO POVO APINAJÉ

NÃO AO GOLPE; NENHUM DIREITO A MENOS!
      Nós caciques e lideranças Apinajé, incluindo jovens estudantes, professores, conselheiros, mulheres e idosos reunidos nos dias 02, 03 e 04 de maio de 2017 na aldeia Prata, T.I. Apinajé no município de Tocantinópolis – TO no Norte de Tocantins, somando mais de 100 pessoas viemos a público manifestar contra qualquer reforma e retrocesso conduzidos pelo governo Michel Temer que estejam comprometendo nossas conquistas e ameaçando nossos direitos sociais, ambientais e territoriais garantidos na Constituição Federal do Brasil.          Consideramos que esse governo, junto com a maioria dos parlamentares do Senado e da Câmara e parte do Judiciário têm atuado de forma agressiva para retirar nossos direitos constitucionais. Nos últimos anos estamos sendo violentamente ignorados e agredidos por setores empresarias e políticos articulados dentro dos três poderes da Republica.         Com a finalidade de roubar nossos territórios, esses parlamentares tent…

AGROECOLOGIA

Articulação Tocantinense de Agroecologia-ATA e Povo Apinajé, define data e local do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia      Durante o 2º Encontro Tocantinense de Agroecologia realizado no Quilombo Malhadinha, surgiu a proposta de realizar o próximo encontro na Terra Indígena Apinajé, localizada no município de Tocantinópolis no Norte de Tocantins. Dessa forma, na última terça-feira, 21 de março de 2017 realizamos na aldeia Brejinho, Reunião da Articulação Tocantinense de Agroecologia - ATA, na qual discutimos as possibilidades e condições do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia ser realizado na T.I. Apinajé.        Após intensa conversa entre as lideranças da Associação União das Aldeias Apinajé - Pempxà, Associação Pyka Mex e representantes da APA-TO, COEQTO, MIQCB, MAB, CIMI e UFT Campus de Tocantinópolis-TO, decidimos que o 3º Encontro Tocantinense de Agro ecologia será mesmo realizado na aldeia Patizal, na T.I. Apinajé, no período de 23 a 26 de novembro de 2017        Selma…