Pular para o conteúdo principal

POVO XERENTE

Princesa da Bélgica, Maria- Esmeralda visita hoje a nação Xerente/TO da aldeia Porteira.
    O Povo Xerente, recebeu nesta, terça-feira, 05 de julho de 2016,a visita de um membro da família Real da Bélgica, Sua alteza a Princesa Maria-Esmeralda. A visita da princesa, acontece após a visita do embaixador da Bélgica Josef Smets, que visitou a nação Xerente no dia 30 de agosto de 2015.
      Maria-Esmeralda, filha do antigo Rei Leopoldo III, que nos anos 50/60 do século passado, realizou varias viagens de estudo junto a povos Indígenas da Amazônia e do Brasil Central. As fotos feitas na época, pelo Rei, são de valor histórico e cientifico e o no dia 06 de julho, será feito a abertura de uma exposição, no Memorial dos Povos Indígenas de Brasília, com fotos da viagem realizado em 1964.
      A comunidade da aldeia Porteira preparou uma grande festa de recepção. Algumas atividades e manifestações culturais foram apresentadas à princesa.
     Para o líder, Srêwĕ Xerente, presidente da UNIX – União Indígena Xerente, “o momento é histórico. Com a visita da princesa Maria-Esmeralda, podemos fortalecer o nosso dialogo no intuito de fortalecermos a  nossa tradição cultural e meio ambiente, com reflorestamentos de áreas degradadas com arvores para o comercio de madeiras, ecologicamente sustentável. Não queremos  esmolas de ricos, mas, sim oportunidades para investirmos e repartir com muitos que precisam”


Fonte: unix_to@yahoo.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

Morre a líder e cacique Maria Ireti Almeida Apinajé
       Informamos com profundo pesar e tristeza a todos os parentes (lideranças) indígenas de outros povos do Estado do Tocantins e do Brasil, bem como aos aliados da causa indígena e parceiros ambientalistas e indigenistas, o falecimento de Maria Ireti Almeida Apinagé, ocorrido no último dia 02 de junho de 2017, sexta-feira. O triste fato aconteceu na aldeia Brejinho na Terra Apinajé, onde morava com familiares. As causas ainda não foram totalmente esclarecidas ou determinadas.      Apesar da idade, Maria Ireti Almeida Apinagé, era mulher forte, guerreira e militante incansável da causa indígena. Na condição de mulher indígena, mãe, avó, trabalhadora, conselheira e liderança do povo Apinajé, cumpriu sua missão participando de inúmeras mobilizações e manifestações locais, regionais e nacional em prol da vida dos povos indígenas. Assim Maria Ireti Almeida Apinagé com sua força cultural, sabedoria, simplicidade, conhecimento de causa, s…

HIDRELÉTRICAS

HIDRELÉTRICAS NA AMAZÔNIA: CONSTRUINDO DIÁLOGOS, TROCANDO EXPERIÊNCIAS CARTA DOS POVOS INDÍGENAS JURUNA, XERENTE, APINAJÉ  E KAYABIAs violações de direitos indígenas e direitos humanos no processo de construção de usinas hidrelétricas na Amazônia se repetem nas três Bacias hidrográficas do Tocantins-Araguaia, Xingu e Tapajós



No período de 27 a 29 de junho, mais de 50 lideranças indígenas representantes dos povos Juruna /PA, Kayabi/MT, Xerente e Apinajé/TO, estivemos reunidos na 3ª Oficina realizada pela RBA (Rede Barragens Amazônica), com o tema; “Hidrelétricas e povos indígenas- construindo diálogos, trocando experiências”, que aconteceu na aldeia Paquiçamba, região da Volta Grande do Xingu. Na Oficina debatemos o polêmico e traumático processo de construção de hidrelétricas nos rios da Amazônia e do Cerrado. As lideranças indígenas explicaram sobre o processo antes, durante e após a implantação das obras. Falaram dos conflitos com os empreendedores, das ameaças que estão expostos  e d…

1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ

1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ.


Nos dias 10, 11 e 12 de outubro de 2012, foi realizado na aldeia Patizal terra indígena Apinajé, município de Tocantinópolis-TO, a 1ª Oficina de Artesanato e Saberes Tradicionais do Povo Apinajé. O evento teve a participação 80 pessoas, entre anciões, alunos, mulheres e professores.
       A realização dessa oficina  teve a finalidade  propiciar um espaço social e cultural, onde os mais idosos, que são detentores de conhecimentos e saberes tradicionais, podem estar ensinando e repassando aos mas jovens, alguns conhecimentos e saberes do povo Apinajé.

       Os participantes gostaram da ideia, e pediram que seja realizados mais vezes, (pelo menos uma vez por ano) essas oficinas. Essa primeira edição da oficina de artesanato, foi uma parceria da Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ, com a Supervisão de Educação Indígena do MEC/DRE-Delegacia Regional de Ensino de Tocantinópolis-TO  e da FUNAI/CTL de Tocantinópolis e t…