Pular para o conteúdo principal

CULTURA

I ENCONTRO DE PAGÉS (WAYAKÁS)
Abertura do Encontro de Pagés na aldeia Prata (Pyka Mex). (foto: Antônio Veríssimo. Junho de 2014).
       No período de 12 a 14 de junho de 2014, aconteceu na aldeia Prata (Pyka Mex), na Terra Indígena Apinajé, no Município de Tocantinópolis (TO), o I Encontro de Pagés (Wayakás). O evento foi realizado pela Associação Pyka Mex e teve a participação de representantes dos povos Apinajé, Krahô, Krikati, Gavião, Xerente e Kayapó e contou com o apoio institucional da Fundação Nacional do Índio-FUNAI, da Universidade Federal do Tocantins-UFT e da Prefeitura Municipal de Tocantinópolis. O Centro de Trabalho Indigenista- CTI e a Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ também apoiaram o Encontro.
       Na quinta-feira dia 12/06 pela manhã, na abertura oficial do evento, o cacique Elias Salvador Apinajé e o coordenador do Encontro, Samuel Xerente depois de agradeceram a presença dos Pagés, caciques e lideranças indígenas, dos Professores e Estudantes da Universidade Federal do Tocantins-UFT e dos Coordenadores da FUNAI local, deram inicio os debates observando a importância do Encontro para as lutas e resistência dos povos indígenas.
Apresentações de remédios tradicionais. (foto: Antônio Veríssimo. Junho
de 2014).
     Em seus depoimentos os Pagés, caciques e lideranças manifestaram interesses em resguardar e fortalecer os Conhecimentos e Saberes Tradicionais essenciais para continuidade das tradições e para manutenção das relações de respeito e convivência equilibrada com a natureza. Os Pagés também se expressaram em defesa do patrimônio ambiental e da biodiversidade existente nas terras indígenas e enfatizaram a urgente necessidade da proteção e garantia desses territórios localizados em regiões de cerrado e florestas nos Estados do Tocantins, Maranhão e Pará, que estão sendo fortemente prejudicadas e ameaçadas pelas empresas madeireiras, plantações de eucaliptos, carvoarias e pecuária.
    Os participantes criticaram a ausência de uma política de Estado que dê o devido reconhecimento e amparo legal às atividades dos Pagés e Parteiras, esses que são considerados autênticos Guardiões e Mestres dos Saberes e Conhecimentos Tradicionais Indígenas. As lideranças afirmaram que a escola deve efetivamente ser um espaço de transmissão dos saberes e conhecimentos tradicionais e que o Governo Federal por meio do Ministério da Saúde, SESAI e os DSEIs também devem apoiar e valorizar mais o uso da medicina indígena.
Pintura dos participantes do Encontro. (foto: Antônio
Veríssimo. Junho de 2014).
    No dia 13/06 de 2014 os Pagés apresentaram as raízes, cascas, sementes e folhas de plantas que são remédios receitados para curar as doenças dos índios que a medicina dos Kupẽ não vê e não conhece. No período da tarde foram realizadas atividades de campo em áreas de cerrado próximo à aldeia Prata (Pyka Mex), visando mostrar como são coletados esses remédios que fazem parte de nossa Farmácia Viva e Natural. Durante os três dias todos esses medicamentos foram colocados em exposição para apreciação dos participantes do Encontro.
      Ainda no dia 13/06, no período da noite o Prof. André Demarchi da Universidade Federal do Tocantins-UFT e Bepunu Kayapó, cineasta e pesquisador do Museu paraense Emílio Goeldi, apresentaram o Documentário: Meôk (Nossa Pintura), que mostrou como é realizada essa importante tradição da pintura dos Mebengôkre- Kayapó do Sul do Pará.
    Em 14/06 ao meio dia aconteceu o encerramento do I Encontro dos Pagés (Waiakás). O próximo Encontro será realizado novamente na aldeia Prata (Pyka Mex), em data ainda a ser confirmada.

Terra Indígena Apinajé, 16 de junho de 2014.

Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

Morre a líder e cacique Maria Ireti Almeida Apinajé
       Informamos com profundo pesar e tristeza a todos os parentes (lideranças) indígenas de outros povos do Estado do Tocantins e do Brasil, bem como aos aliados da causa indígena e parceiros ambientalistas e indigenistas, o falecimento de Maria Ireti Almeida Apinagé, ocorrido no último dia 02 de junho de 2017, sexta-feira. O triste fato aconteceu na aldeia Brejinho na Terra Apinajé, onde morava com familiares. As causas ainda não foram totalmente esclarecidas ou determinadas.      Apesar da idade, Maria Ireti Almeida Apinagé, era mulher forte, guerreira e militante incansável da causa indígena. Na condição de mulher indígena, mãe, avó, trabalhadora, conselheira e liderança do povo Apinajé, cumpriu sua missão participando de inúmeras mobilizações e manifestações locais, regionais e nacional em prol da vida dos povos indígenas. Assim Maria Ireti Almeida Apinagé com sua força cultural, sabedoria, simplicidade, conhecimento de causa, s…

MANIFESTO DO POVO APINAJÉ

NÃO AO GOLPE; NENHUM DIREITO A MENOS!
      Nós caciques e lideranças Apinajé, incluindo jovens estudantes, professores, conselheiros, mulheres e idosos reunidos nos dias 02, 03 e 04 de maio de 2017 na aldeia Prata, T.I. Apinajé no município de Tocantinópolis – TO no Norte de Tocantins, somando mais de 100 pessoas viemos a público manifestar contra qualquer reforma e retrocesso conduzidos pelo governo Michel Temer que estejam comprometendo nossas conquistas e ameaçando nossos direitos sociais, ambientais e territoriais garantidos na Constituição Federal do Brasil.          Consideramos que esse governo, junto com a maioria dos parlamentares do Senado e da Câmara e parte do Judiciário têm atuado de forma agressiva para retirar nossos direitos constitucionais. Nos últimos anos estamos sendo violentamente ignorados e agredidos por setores empresarias e políticos articulados dentro dos três poderes da Republica.         Com a finalidade de roubar nossos territórios, esses parlamentares tent…

AGROECOLOGIA

Articulação Tocantinense de Agroecologia-ATA e Povo Apinajé, define data e local do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia      Durante o 2º Encontro Tocantinense de Agroecologia realizado no Quilombo Malhadinha, surgiu a proposta de realizar o próximo encontro na Terra Indígena Apinajé, localizada no município de Tocantinópolis no Norte de Tocantins. Dessa forma, na última terça-feira, 21 de março de 2017 realizamos na aldeia Brejinho, Reunião da Articulação Tocantinense de Agroecologia - ATA, na qual discutimos as possibilidades e condições do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia ser realizado na T.I. Apinajé.        Após intensa conversa entre as lideranças da Associação União das Aldeias Apinajé - Pempxà, Associação Pyka Mex e representantes da APA-TO, COEQTO, MIQCB, MAB, CIMI e UFT Campus de Tocantinópolis-TO, decidimos que o 3º Encontro Tocantinense de Agro ecologia será mesmo realizado na aldeia Patizal, na T.I. Apinajé, no período de 23 a 26 de novembro de 2017        Selma…