Pular para o conteúdo principal

MEIO AMBIENTE

BRIGADA APINAJÉ: PROVA DE FOGO
Brigadistas Apinajé em atividades na aldeia Barra do Dia, município de Maurilândia. (foto: Antônio Veríssimo. Jul. 2014)
Chefe de Brigada conversa com liderança Apinajé. (foto:
Antônio Veríssimo. Jul. 2014)

       Período de junho a setembro, esse é o tempo da florada e crescimento dos frutos dos pequizeiros, cajueiros, bacurizeiros e de outras espécies de árvores e palmeiras nativas dessa região. A partir de agora o cerrado e seus habitantes vivem sob a intensa e perigosa ameaça dos incêndios que poderão ocorrer nessa época. De forma cíclica e repetitiva todos os anos milhares hectares de campos, florestas e matas ciliares do território Apinajé, localizado no Norte do Estado do Tocantins vem sendo suprimidos e alterados pelo fogo.
      Por meio de convênio firmado entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis-IBAMA e a Fundação Nacional do Índio-FUNAI, no inicio de maio de 2014 foi realizada a seleção, capacitação e contrato de 15 Brigadistas indígenas da etnia Apinajé pelo Centro de Prevenção e Controle aos Incêndios Florestais do IBAMA/Prev-Fogo. 
     Equipados com viaturas 4X4, rádios de comunicação, GPS, máquinas fotográficas e outros equipamentos esses 15 brigadistas indígenas já estão atuando no território Apinajé desde inicio de junho.
     Inicialmente a Brigada Indígena está realizando visitas de apresentação nas comunidades com objetivo de conversar com os caciques sobre as atividades que doravante serão desenvolvidas pelos 2 Esquadrões que atuarão simultaneamente nas fronteiras principais da área Apinajé. No momento os Brigadistas também estão desenvolvendo atividades de Monitoramento Territorial, fazendo reconhecimento das regiões críticas e vulneráveis nos limites dos municípios de Tocantinópolis, Maurilândia, São Bento do Tocantins e Cachoeirinha.
Brigadistas em atividades na TO 126. (foto: Antônio 
Veríssimo. Jul. 2014)
     Alexandre Conde, chefe da Brigada Apinajé informou que os caciques e lideranças das aldeias visitadas estão sendo devidamente informados e orientados sobre algumas regras internas que doravante deverão ser observadas e cumpridas por todos. O chefe da Brigada disse também que os caciques e chefes de famílias demostraram considerável disposição de colaborar e apoiar as atividades dos Brigadistas.
       Dessa forma alertamos também a toda população das cidades circunvizinhas e moradores do entorno do território Apinajé, que se alguém for flagrado colocando fogo em pastagens, campos e florestas dentro da área indígena, poderá ser detido e encaminhado às autoridades competentes. Os moradores que tem seus lotes nas proximidades da área Apinajé, de agora em diante deverão notificar com antecedência o IBAMA, FUNAI, NATURATINS, os caciques e Chefes de Brigadas, quando forem queimar suas roças e pastagens. 

Terra Indígena Apinajé, 10 de julho de 2014.



Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

Morre a líder e cacique Maria Ireti Almeida Apinajé
       Informamos com profundo pesar e tristeza a todos os parentes (lideranças) indígenas de outros povos do Estado do Tocantins e do Brasil, bem como aos aliados da causa indígena e parceiros ambientalistas e indigenistas, o falecimento de Maria Ireti Almeida Apinagé, ocorrido no último dia 02 de junho de 2017, sexta-feira. O triste fato aconteceu na aldeia Brejinho na Terra Apinajé, onde morava com familiares. As causas ainda não foram totalmente esclarecidas ou determinadas.      Apesar da idade, Maria Ireti Almeida Apinagé, era mulher forte, guerreira e militante incansável da causa indígena. Na condição de mulher indígena, mãe, avó, trabalhadora, conselheira e liderança do povo Apinajé, cumpriu sua missão participando de inúmeras mobilizações e manifestações locais, regionais e nacional em prol da vida dos povos indígenas. Assim Maria Ireti Almeida Apinagé com sua força cultural, sabedoria, simplicidade, conhecimento de causa, s…

MANIFESTO DO POVO APINAJÉ

NÃO AO GOLPE; NENHUM DIREITO A MENOS!
      Nós caciques e lideranças Apinajé, incluindo jovens estudantes, professores, conselheiros, mulheres e idosos reunidos nos dias 02, 03 e 04 de maio de 2017 na aldeia Prata, T.I. Apinajé no município de Tocantinópolis – TO no Norte de Tocantins, somando mais de 100 pessoas viemos a público manifestar contra qualquer reforma e retrocesso conduzidos pelo governo Michel Temer que estejam comprometendo nossas conquistas e ameaçando nossos direitos sociais, ambientais e territoriais garantidos na Constituição Federal do Brasil.          Consideramos que esse governo, junto com a maioria dos parlamentares do Senado e da Câmara e parte do Judiciário têm atuado de forma agressiva para retirar nossos direitos constitucionais. Nos últimos anos estamos sendo violentamente ignorados e agredidos por setores empresarias e políticos articulados dentro dos três poderes da Republica.         Com a finalidade de roubar nossos territórios, esses parlamentares tent…

AGROECOLOGIA

Articulação Tocantinense de Agroecologia-ATA e Povo Apinajé, define data e local do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia      Durante o 2º Encontro Tocantinense de Agroecologia realizado no Quilombo Malhadinha, surgiu a proposta de realizar o próximo encontro na Terra Indígena Apinajé, localizada no município de Tocantinópolis no Norte de Tocantins. Dessa forma, na última terça-feira, 21 de março de 2017 realizamos na aldeia Brejinho, Reunião da Articulação Tocantinense de Agroecologia - ATA, na qual discutimos as possibilidades e condições do 3º Encontro Tocantinense de Agroecologia ser realizado na T.I. Apinajé.        Após intensa conversa entre as lideranças da Associação União das Aldeias Apinajé - Pempxà, Associação Pyka Mex e representantes da APA-TO, COEQTO, MIQCB, MAB, CIMI e UFT Campus de Tocantinópolis-TO, decidimos que o 3º Encontro Tocantinense de Agro ecologia será mesmo realizado na aldeia Patizal, na T.I. Apinajé, no período de 23 a 26 de novembro de 2017        Selma…