Postagens

Mostrando postagens de 2012

AS ATIVIDADES DE CAÇA E COLETA E A GESTÃO AMBIENTAL DA ÁREA APINAJÉ

Imagem
AS ATIVIDADES DE CAÇA E COLETA E A GESTÃO AMBIENTALDA ÁREA APINAJÉ.

    Noperíodo de 15 a 20 de dezembro de 2012, estivemos mobilizados realizando trabalhos de coletas de frutas nativas e vigilância de nosso território. As ações aconteceram nas regiões das aldeias, (desativadas) Cocalinho e Buriti Cumprido, localizadas nos municípios de São Bento do Tocantins e Cachoeirinha, extremo oeste desta terra indígena. Essas atividades fazem parte de nosso Plano Permanentede Vigilância e Proteção Territorial, que foi elaborado em 2009, em parceria com a FUNAI.     As ações foram planejadas e executadas com o apoio da Associação União das Aldeias Apinajé- PEMPXÀ, em parceria com a FUNAI/CTL de Tocantinópolis-TO, e cerca de 60 indígenas (principalmente jovens) estiveram envolvidos na execução dos trabalhos. Essas andanças no interior de nosso território, visam a ocupação dessa parte da área e o aproveitamento dos recursos naturais, caça, pesca e a coleta de frutas nativas; como a bacaba, bacuri…

PLANTAÇÕES DE EUCALIPTOS, AMEAÇAM TERRA INDÍGENA APINAJÉ

Imagem
PLANTAÇÕES DE EUCALIPTOS,  AMEAÇAM TERRA INDÍGENA APINAJÉ.
     As Monoculturas de eucaliptos implantadas no entorno da área Apinajé, no norte do estado do Tocantins, representam um sério problema para o meio ambiente e uma grave ameaça para as aldeias e a nossa população indígena.       Há pouco mais de (12) doze anos, foi implantado o 1º grande projeto de plantações de eucaliptos nos limites noroeste dessa terra indígena. O citado empreendimento afetou às aldeias; Buriti Cumprido e Cocalinho, (atualmente desativadas) e está localizado no município de São Bento do Tocantins. Esse projeto foi licenciado pelo NATURATINS, que não considerou a área indígena e nem respeitou a faixa de amortecimento de (10) km que a lei exige. Outra irregularidade, é que no caso dos empreendimentos que afetam terras indígenas, a competência para realizar os procedimentos necessários (audiências públicas EIA-RIMA) e liberação de licenças ambientais é do órgão federal, o IBAMA e não de órgãos estaduais, como…

VIATURA QUE ESTAVA APREENDIDA NA, MARIAZINHA É DEVOLVIDA À SESAI.

VIATURA DA SESAI, APREENDIDA EM ALDEIA APINAJÉ É LIBERADA.
     A viatura da SESAI, que tinha sido apreendida no último dia 03/12/12, segunda-feira, e estava na aldeia Mariazinha, foi devolvida no sábado dia 08/12/12, aos servidores da SESAI. O veiculo tinha sido apreendido, por lideranças indígenas Apinajé daquela comunidade, como forma de protestos e para chamar atenção do PBI de Tocantinópolis -TO, DSEI-TO e SESAI para consertar duas (2)  bombas d’água das aldeias Mariazinha e Bonito, que estavam danificadas há mais de dois (2) meses.     Depois de (5) cinco dias de espera e intensas negociações entre FUNAI, MPF-TO e SESAI, as lideranças da aldeia Mariazinha entregaram a viatura ao motorista da SESAI, logo que as bombas d’água das aldeias Mariazinha e Bonito foram montadas e voltaram a funcionar.     Essas mobilizações das comunidades se justificam, em razão do sofrimento que estamos vivenciando. A falta de água tratada nas aldeias Apinajé, é um sério problema, que merece ser tratado …

SAÚDE

Imagem
        NOTA DE ESCLARECIMENTO

Vimos à publico, esclarecer para a sociedade, imprensa e as autoridades do poder público, sobre a questão da viatura, Placa MXC 4184 cabine dupla, OFICIAL, BRANCA da SESAI/PBI-Tocantinópolis -TO, que foi apreendida no último dia 03/12/12, na estrada de acesso à aldeia Mariazinha. Sobre essa ocorrência, temos que esclarecer o seguinte:

     Em nossas comunidades todos os anos sofremos e enfrentamos sérios problemas com doenças sazonais, especialmente aquelas transmitidas pelas águas contaminadas, que somos obrigados a consumir por falta de água tratada. E que há alguns anos a chefe Adm. do PBI e Tocantinópolis -TO, Cimei Gomes de Sousa e a chefe do DSEI-TO Ivaneizília Ferreira Noleto, estão sendo alertadas e cobradas, por meio de documentos, ofícios e manifestos, que infelizmente não são respondidos  nem resolvidos.

No dia 09 de outubro de 2012, a bomba d’agua da aldeia Mariazinha foi queimada, sendo que no mesmo dia a chefe do PBI, foi informada. E durante …

CONGRESSO DOS 40 ANOS DO CIMI: "RAÍZ, IDENTIDADE E MISSÃO"

CONGRESSO DOS 40 ANOS DO CIMI: “RAIZ, IDENTIDADE E MISSÃO”
   Nos dias 19 a 23 de novembro de 2012, estivemos reunidos, cerca de 250 pessoas, em Luziânia-GO, no Congresso dos 40 anos do   CIMI-Conselho Indigenista Missionário.Os participantes vindos de todas as regiões do País, missionários, lideranças indígenas, representantes de organizações da sociedade civil e outros convidados do Brasil e exterior, debatemos e refletimos sobre os temas do congresso; “Raiz,Identidade e Missão”. Também fizemos uma breve memória do contexto de criação do CIMI nos anos 70 e avaliamoso compromisso e a caminhada da entidade, com os povos indígenas nesses 40 anos.   Os Bispos, Padres e missionários afirmaram que o CIMI, (que é uma entidade vinculada a CNBB-Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil) foi criado por opção à causa dos povos indígenas, historicamente massacrados e ameaçados de extermínio. Foram citadas algumas conquistas e lembrados momentos históricos como; as realizações das primeiras assembl…

CARTA DOS POVOS INDÍGENAS DE TOCANTINS, PARÁ E AMAPÁ

Imagem
CARTA DOS POVOS INDÍGENAS DE TOCANTINS, PARÁ E AMAPÁ
Nós povos indígenas Apinajé,Krahô,Kayapó, Xerente, CarajáXambioá, Awá Canoeiro,Guajajara, Aikewara (Suruí), Atikum, Tembé, Munduruku, Juruna, Galibi Maworno, Karipuna, reunidosno 1º Encontro Macro – Regional dos Povos Indígenas dos estados do Tocantins, Pará e Amapá, que aconteceu nos dias 28, 29 e 30 de outubro de 2012, na aldeia Patizal terra indígena Apinajé, município de Tocantinópolis, estado do Tocantins, vimos a público manifestar nossas preocupações e apreensões com a atual conjuntura política do País, e as violências e perversidades que ora estão sendo pensadas e praticadas pelos diversos grupos políticos e econômicos contra nossos povos. Em nossas lutas pelas demarcações de nossas terras, que foram roubadas. Pela melhoria do atendimento à saúde. E por uma educação diferenciada e de qualidade, às vezes não somos bem recebidos e tratados com respeito nos órgãos públicos. O que estamos percebendo é a clara intensão desses grup…

1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ

Imagem
1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ.


Nos dias 10, 11 e 12 de outubro de 2012, foi realizado na aldeia Patizal terra indígena Apinajé, município de Tocantinópolis-TO, a 1ª Oficina de Artesanato e Saberes Tradicionais do Povo Apinajé. O evento teve a participação 80 pessoas, entre anciões, alunos, mulheres e professores.
       A realização dessa oficina  teve a finalidade  propiciar um espaço social e cultural, onde os mais idosos, que são detentores de conhecimentos e saberes tradicionais, podem estar ensinando e repassando aos mas jovens, alguns conhecimentos e saberes do povo Apinajé.

       Os participantes gostaram da ideia, e pediram que seja realizados mais vezes, (pelo menos uma vez por ano) essas oficinas. Essa primeira edição da oficina de artesanato, foi uma parceria da Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ, com a Supervisão de Educação Indígena do MEC/DRE-Delegacia Regional de Ensino de Tocantinópolis-TO  e da FUNAI/CTL de Tocantinópolis e t…