Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2018

ORGANIZAÇÃO INDÍGENA

Documento final da Assembleia dos Povos Indígenas de Tocantins
Nós lideranças indígenas, representantes dos povos Apinajé, Krahô, Xerente, Krahô Takaywrá, Javaé, Krahô-Kanela, Awá Canoeiro estivemos reunidos na Assembleia dos Povos Indígenas de Tocantins realizada no período de 07 a 09/12/2018 na aldeia Brejinho, Terra Indígena Apinajé, no município de Tocantinópolis -TO. Durante três dias, mais de 200 lideranças dialogamos, debatemos e analisamos a situação política do país; com especial atenção sobre a política indigenista ameaçada e desprezada pelo presidente eleito em 2018.

Na abertura da Assembleia lembramos nossos mártires, lutadores e lutadoras que morreram na esperança de melhorar a vida e o futuro de todos os povos. Destacamos a luta das mulheres indígenas que mesmo numa situação desfavorável de insegurança, medo, ameaças e violências nunca desistiram de lutar por território, saúde, educação e pelo Bem Viver de suas famílias, comunidades e povos. Lembramos a história, a resist…

POVOS ISOLADOS

COMUNICADO DE IMPRENSA DA SURVIVAL INTERNATIONAL A Survival International pede por proteção policial para tribo isolada4 de dezembro de 2018

MEIO AMBIENTE

Preocupações, denúncias e compromissos no Encontro de Bacias You are here: HomeNotícia 2 de dezembro de 2018

Mais de 100 pessoas participam do Encontro de Bacias em Miracema do Tocantins/TO. Terminou, no início da tarde desse domingo (02), o Encontro de Povos e Comunidades das Bacias do Araguaia e Tocantins. Foram três dias de partilha, discussões e busca de soluções coletivas. Motivada pela REPAM-Brasil, a atividade fez parte, também, do processo de escuta em preparação ao Sínodo para a Amazônia. De acordo com Pe. Dário Bossi, assessor da REPAM-Brasil e um dos articuladores do encontro, a atividade superou as expectativas. “O número de pessoas e comunidades representadas ultrapassou o que esperávamos e as discussões realizadas contribuíram, e muito, para se articular e pensar alternativas para a região”, destacou Bossi. Para Dom Giovane Pereira, bispo de Tocantinópolis, faltava uma escuta mais ampliada dos povos e comunidades no regional norte 3 e o Encontro de Bacias supriu essa nece…

DIREITOS INDÍGENAS

Nota do Cimi sobre as agressões do Presidente eleito contra os Povos Originários do Brasil São graves e preocupantes as ideológicas, anacrônicas e recorrentes declarações do presidente eleito sobre os povos originários do Brasil
Foto: Guilherme Cavalli, Ascom Cimi       Bolsonaro insiste em equiparar os povos a animais em zoológicos, o que é, por si só, inaceitável. Ao fazer isso, o presidente eleito sinaliza que os povos podem ser caçados e expulsos por aqueles que têm interesse na exploração dos territórios indígenas e que pensam como ele.     O presidente eleito retoma o discurso integracionista, marca dos governos ditatoriais das décadas de 1960 a 1980. A ideologia do integracionismo deu margem para ações de agentes estatais e privados que resultaram no assassinato de ao menos 08 mil indígenas no período citado, como atesta o Relatório da Comissão Nacional da Verdade.       Ao afirmar que as demarcações de terras indígenas no Brasil teriam origem em pressões externas, o presidente elei…

EDUCAÇÃO INDÍGENA

Professores, estudantes, pais, lideranças, anciãos, mulheres realizam a Oficina 'Saberes Indígenas na Escola' na aldeia São José       A Oficina'Saberes Indígenas na Escola' foi realizada nos dias 16 e 17 de novembro de 2018 na Escola Estadual Indígena Mãtyk na aldeia São José, TI Apinajé no município de Tocantinópolis e teve importante participação de lideranças, professores e estudantes indígenas universitários vindos de outras aldeias Apinajé. Participaram ainda professores da UFT de Araguaína, Porto Nacional e Tocantinópolis, além de pesquisadores e acadêmicos indígena Panhĩ e não indígenas da UFT e UFG.
      Na abertura, no período da manhã, foram entregues algumas fotos (preto e branco) em moldura do líder José Dias Mãtyk, que viveu na antiga aldeia Bacaba entre os anos de 1910 a 1950. Quando foi construída a Escola Estadual Indígena Mãtyk, a unidade escolar recebeu esse nome para homenagear esse importante líder do povo Apinajé. As fotos foram tiradas pelo Etnólo…