Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2019

MPF

MPF ajuíza ação civil pública contra União e Funai pela demora na análise do pedido de ampliação dos limites da Terra Indígena Apinajé no estado do Tocantins
Processo corre há 25 anos e nunca saiu da primeira etapa
Foto: Ascom/MPF/TO O Ministério Público Federal (MPF)ajuizou ação civil pública (ACP) contra a União e a Fundação Nacional do Índio (Funai) paraobrigá-las a concluir o processo administrativo de ampliação e redefinição dos limites da Terra Indígena Apinajé no estado do Tocantins. O processo foi iniciado

EDUCAÇÃO

Educação: Audiência na aldeia Mariazinha debateu propostas para o Plano Nacional de Educação Escolar Indígena-PNEEI

Aconteceu na última segunda-feira 11/11/19 na Escola Estadual Indígena Tekator, na aldeia Mariazinha T.I. Apinajé na zona rural do município de Tocantinópolis-TO, Audiência com participação de caciques, lideranças, alunos, professores indígenas e não indígenas com objetivos de construir Propostas e Ações para implementação do Plano Nacional de Educação Escolar Indígena-PNEEI e fazer a escolha e indicação dos conselheiros para compor o Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena para o período de 2020 e 2021.
A Audiência realizada pela SEDUC/Gerência de Educação Indígena contou ainda com as presenças do Sr. Dorismar Carvalho de Sousa, Diretor Regional de Ensino de Tocantinópolis e Waxiy Maluá Karajá Gerente de Educação Indígena entre outros servidores da Educação. Tivemos expressiva participação dos caciques e lideranças Apinajé vindos da região das aldeias Mariazinha e…

APIB

Nota de repúdio e pesar pelo assassinato do guardião Paulo Paulino Guajajara02/nov/2019 Maranhão, 2 de novembro de 2019 – É com profunda tristeza e revolta, que nós, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), vimos a público denunciar e prestar solidariedade ao Povo Guajajara pelo assassinato do guardião Paulo Paulino Guajajara após o grupo dos agentes florestais indígenas “Guardiões da Floresta” ter sido emboscado por madeireiros dentro de seu próprio território. O líder indígena guardião Laércio Guajajara também foi ferido, ele está internado e seu quadro é estável. O crime ocorreu ontem no interior da Terra Indígena Araribóia, região de Bom Jesus das Selvas-MA, entre as aldeias Lagoa Comprida e Jenipapo. Houve intenso confronto. O indígena Paulo Paulino Guajajara, conhecido como “Lobo mau”, foi brutalmente assassinado com um tiro no rosto; Há informações de que um madeireiro envolvido no crime também pode ter morrido no confronto, seu corpo está desaparecido. O Governo Bolso…

VIOLÊNCIA

Responsabilizamos o Estado e o governo federal pelo assassinato de Paulo Paulino GuajajaraNota de Repúdio – Durante ataque de madeireiros, Laércio Souza Silva Guajajara foi atingido por tiros no braço e nas costas Paulino Guajajara era Guardião da Floresta e a mais recente vítima da omissão do Estado brasileiro e do incentivo do governo brasileiro às terras indígenas. Crédito da foto: Patrick Raynaud/Mídia índia ATUALIZADO ÀS 16H47 DE SÁBADO, DIA 2 DE NOVEMBRO O Conselho Indigenista Missionário (Cimi), com indignação e tristeza, acusa e responsabiliza o Estado e o governo brasileiro pelo covarde assassinato de Paulo Paulino Guajajara, ocorrido na noite desta sexta-feira (1) no interior da Terra Indígena Arariboia, no Maranhão. O indígena tinha 26 anos e deixa esposa e um filho. Paulino Guajajara e Laércio Souza Silva partiram da aldeia Lagoa Comprida, norte da Terra Indígena, a 100 km do município de Amarante, para caçar. Já na mata, foram surpreendidos por cinco madeireiros armados. Os ho…

AGROECOLOGIA

Carta do 5º Encontro Tocantinense de Agroecologiapor APA-TO
Entre os dias 24 e 27 de outubro de 2019, em São Miguel do Tocantins (TO), região do Bico do Papagaio, foi realizado o V Encontro Tocantinense de Agroecologia. Apresentando o tema ‘’Territórios Agroecológicos: Tecendo resistências e esperança para o campo e a cidade na construção da democracia popular e do Bem Viver’’, o evento reuniu mais de 600 pessoas na Comunidade Sete Barracas, território que reúne histórias de lutas e resistências das quebradeiras de coco babaçu. O Encontro foi organizado por entidades e movimento que fazem parte da Articulação Tocantinense de Agroecologia. Confira, abaixo, a Carta do Encontro para a sociedade: Carta do 5º Encontro Tocantinense de AgroecologiaInspiradas e inspirados pela mística das histórias de lutas e resistências das quebradeiras de coco babaçu, nós, povos originários Apinajé, Krahô, Kanela do Tocantins, Tapuia, Xerente, Krahô Takaywrá, agricultores(as) familiares, camponeses(as), quilo…

SÍNODO

Sínodo: A urgência de uma ecologia integral e outras formas de relações com a Casa Comum Casa Comum e Bem Viver e os novos caminhos para uma ecologia integral. A responsabilidade com o planeta e o convite para a superação da lógica que se firma na “globalização da indiferença”. Papa caminha com os povos em procissão de abertura do Sínodo. Foto: Guilherme Cavalli POR GUILHERME CAVALLI, DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO – CIMI | ENVIADO ESPECIAL A ROMA O Papa Francisco traz na encíclica Laudato Si (LS) a preocupação com a “Casa Comum”. Indígenas e comunidade tradicionais têm no centro de sua vida o “território” e “Bem Viver”. Com similar conotação, descrevem a responsabilidade com o planeta e convidam para a superação da lógica que se firma na “globalização da indiferença”, intensificada pelo livre mercado e resultante numa “falsa, vaga e ingénua inclusão social” (cf. EG 54). O Sínodo da Amazônia “tornar prático” o documento papal a partir da vida dos povos, afirma a antropóloga Moema Miranda, se…