Pular para o conteúdo principal

ASSEMBLEIA PEMPXÀ

POVO APINAJÉ PREPARA A 8ª ASSEMBLEIA GERAL ELETIVA DA ASSOCIAÇÃO UNIÃO DAS ALDEIAS APINAJÉ – PEMPXÁ, EVENTO SERÁ REALIZADO NO PERÍODO DE 17 A 21 DE SETEMBRO DE 2017

         A 8ª Assembleia Geral Eletiva da União das Aldeias Apinajé - Pempxà, está confirmada e será realizada no período de 17 a 21 na próxima semana. O evento acontecerá na aldeia Irepxi TI Apinajé, localizada à 45 km do núcleo urbano da cidade de Tocantinópolis - TO. Ao menos 200 pessoas, entre indígenas, (parceiros) instituições e não-índios que foram convidados e estão sendo esperados na assembleia.
       Nesta assembleia debateremos as contradições da política indigenista que se agravaram no atual governo de Michel Temer, e o sucateamento e desmonte da FUNAI. Ressaltamos que a falta de fiscalização e proteção da TI, abre as portas para continuidade das invasões, práticas de crimes ambientais e outros ilícitos. Os conflitos e violências contra as pessoas e o patrimônio indígena estão se agravando nesta conjuntura.
      O chefe do Prev-Fogo em Tocantinópolis - TO, informará como as ações de prevenção e combate aos incêndios florestais, que é realizado pelo Prev-Fogo/IBAMA, também estão ocorrendo na TI mesmo com as limitações e cortes orçamentários, que resultaram em redução das Brigadas na TI Apinajé.
       Tendo em vistas que os recursos do PBA Timbira este ano foram destinados para estruturação da Agencia Implementadora do Programa e para ações de Monitoramento e Vigilância da TI., nesta assembleia serão trazidas informações do PBA Timbira e sobre as ações de Monitoramento previstas no Plano de Trabalho 2017.
       As políticas públicas de saúde indígena, educação, cultura, conservação de estradas, segurança alimentar e saneamento básico também estão na pauta de discussões. Mas o momento mais importante e esperado da assembleia sem dúvida será a eleição da nova diretoria para o período 2017/2020.
             Segue abaixo resumo da Programação. Desejamos a todos convidados (as) boas vindas e proveitosa assembleia àtodos nós.

PROGRAMAÇÃO DA 8ª ASSEMBLEIA DA ASSOCIAÇÃO PEMPXÀ
PERÍODO DE 17 A 21 DE SETEMBRO DE 2017

DIA
MANHÃ
TARDE
NOITE
17/09/17
Domingo
07h00min: inicio do transporte dos caciques e lideranças
16h00min: chegada dos caciques na aldeia Irepxi
17h30min: jantar
19h30min: reunião interna da Diretoria e preparação (pintura) dos participantes
18/09/17
Segunda -feira
07h30min: café
08h00min: início da reunião interna dos caciques
12h00min: intervalo almoço
14hmin: continuação da reunião interna dos caciques
16h00min: chegada dos convidados não-índios
17h30min: intervalo jantar
19h30min: Cerimonial de abertura da Assembleia, encaminhamentos e apresentação da pauta
19/09/17
Terça -feira
07h30min: café
08hmin: debates sobre a Fiscalização da TI Apinajé (FUNAI)
10h00min: informes sobre as ações de prevenção aos incêndios florestais Prev- Fogo (IBAMA)
12h00: intervalo almoço
14h00min: discussões sobre o PBA Timbira e Monitoramento Territorial (Ercílio e Oscar)
16h00min: informações sobre os equipamentos comprados pelo CESTE(FUNAI/CTL)
17h30min: intervalo jantar
19h30min: Noite Cultural
Apresentações de vídeos
Cantorias no pátio
Alexandre Apinagé,
20/09/17
Quarta -feira
07h30min: café
08h00min: apresentação do mapa elaborado pelo CIMI (Laudovina)
10h30min: propostas sobre oficinas de capacitação p/jovens (Ercílio)
12h00min: intervalo almoço
14h00min: debates sobre ICMS Ecológico e políticas públicas; saúde, estradas, cultura e segurança alimentar (prefeituras e FUNAI)
16h00min: informes sobre as mobilizações indígenas e agenda dos movimentos sociais no país
17h30min: intervalo jantar
19h30min: Noite Cultural
Apresentações de vídeos, cantorias e rodas de conversas no pátio
Alexandre e Creuza
21/09/17
Quinta -feira
07h30min: café
08h00min: eleição e composição da Diretoria p/ 2017/2020
12h00min: intervalo almoço
14h00min: informes gerais e assinatura da ata
16h00min: Encerramento e retorno p/ aldeias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ

1ª OFICINA DE ARTESANATO E SABERES TRADICIONAIS DO POVO APINAJÉ



Nos dias 10, 11 e 12 de outubro de 2012, foi realizado na aldeia Patizal terra indígena Apinajé, município de Tocantinópolis-TO, a 1ª Oficina de Artesanato e Saberes Tradicionais do Povo Apinajé. O evento teve a participação 80 pessoas, entre anciões, alunos, mulheres e professores.

A realização dessa oficina  teve a finalidade  propiciar um espaço social e cultural, onde os mais idosos, que são detentores de conhecimentos e saberes tradicionais, podem estar ensinando e repassando aos mas jovens, alguns conhecimentos e saberes do povo Apinajé.


Os participantes gostaram da ideia, e pediram que seja realizados mais vezes, (pelo menos uma vez por ano) essas oficinas. Essa primeira edição da oficina de artesanato, foi uma parceria da Associação União das Aldeias Apinajé-PEMPXÀ, com a Supervisão de Educação Indígena do MEC/DRE-Delegacia Regional de Ensino de Tocantinópolis-TO  e da FUNAI/CTL de Tocantinópolis e teve o apoio de CT…

AGRICULTURA INDÍGENA

As formas de produzir e a agricultura tradicional do povo Apinajé, que habitam na região Norte de Tocantins
A unidade produtiva do povo Apinajé é a família extensa, dessa forma na hora de realizar serviços nos roçados, todos os membros da família (com exceção das crianças pequenas e idosos) participam. Os homens fazem os roçados. Os serviços de plantar, limpar e colher são tarefas predominantemente femininas, mas os homens também ajudam nestes trabalhos.

No final do período chuvoso entre os meses de maio a julho organizamos mutirões para realizar serviços de derrubada do mato. Após algumas semanas o mato seco é queimado para preparação do terreno. Após a queima do mato, os homens munidos de machados, foices e facões realizam os serviços de coivaras, cortando e ajuntando os pedaços de troncos, galhos e folhas remanescentes para serem queimados, assim fica pronto o terreno para o plantio.


O plantio ocorrem no início da estação chuvosa, no período que vai de outubro a dezembro. As próprias …

MESTRADO

Escola, meio ambiente e conhecimentos

A busca persistente pelo conhecimento e o saber é condição fundamental para a evolução da pessoa humana e o desenvolvimento da sociedade em que vive. Por essa razão os povos indígenas e suas lideranças se superam preparando se para enfrentar questões e problemas comuns de suas comunidades, que a cada dia se apresentam cada vez mais desafiadores e difíceis.

Seja para defender seus territórios e suas culturas e, empreender lutas socioculturais e políticas para garantir direitos, seja para buscar uma carreira profissional, os indígenas por conta própria escolhem nas diversas áreas do conhecimento aquilo que gostam e querem seguir na vida.

Assim muitos indígenas estão se organizando e buscando na “educação diferenciada” condições e formas de resistir e garantir sua sobrevivência física e cultural numa conjuntura cada vez mais incerta e ameaçadora. Atualmente pelo esforço próprio alguns indígenas tocantinenses se formaram (ou estão se formando) em medicin…