VERÁS QUE OS FILHOS TEU NÃO FOGEM DA LUTA.


   
Lideranças indígenas na plenária da Câmara dos Deputados, em manifestações contra a  PEC 215. (foto: CIMI. 2013)
    A
s manifestações de ontem à tarde em Brasília (DF) quando mais de 700 lideranças indígenas ocuparam a plenária da Câmara dos Deputados para protestar contra a PEC 215, antes de tudo foi um ato público de cidadania e protagonismo dos povos ali representados. Em alguns momentos da história do Brasil, foi assim, tivemos o Congresso Nacional literalmente ocupado pelas lideranças indígenas de todo o País. E nesse momento não poderia ser diferente.
   Sem dúvida o Congresso Nacional é local mais adequado para nossos cidadãos indígenas se manifestarem e se expressarem, em busca e em defesa de nossos direitos ali mesmo consagrados na Constituição Federal promulgada em 88. Inexplicavelmente as vezes tentam nos impedir de exercer nossa cidadania. Durante as manifestações no dia 16/04/13 o líder indígena Luíz Titiá do povo Pataxó Hã Hã Hãe da Bahia, foi covardemente agredido por seguranças da Câmara dos Deputados.
    Esses protestos das lideranças no Congresso Nacional, são expressões legitimas dos povos indígenas contrários essas PECs e outras medidas que estão sendo discutidas e aprovadas naquela casa legislativa sem a participação de nossos povos. E não houve invasão nenhuma ontem na Câmara dos Deputados, com certeza os únicos invasores dessa história foram os portugueses em 1500 e seus “herdeiros” que continuam usando os mesmos métodos colonialista e violentos para pregar o ódio e promover o extermínio dos últimos povos sobreviventes desses 512 de massacres.
    Contrariando esse “projeto do extermínio”, nossos parentes, bravos guerreiros indígenas, ontem no Congresso Nacional mostraram que não fogem da luta. São lideranças e caciques; idosos, jovens, mulheres e país de famílias, pertencentes a várias etnias de todo o Brasil, que nunca baixaram as cabeças frente as ameaças, a prepotência e a arrogância do poder, não abrindo mão de nossas lutas por melhores condições de vida e dignidade para nossas comunidades.
     Denunciamos as intimidações, ameaças e violências que continuam sendo praticadas deliberadamente contra nossas lideranças indígenas e nossos aliados. No episódio de ontem, o jornalista do Conselho Indigenista Missionário-CIMI, Renato Santana, foi brutalmente agredido por seguranças da Câmara dos Deputados. Repudiamos mais essa violência incompreensível praticada contra os nossas lideranças e parceiros.

Terra Indígena Apinajé, abril de 2013.


Associação União das Aldeias Apinajé- PEMPXÀ.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POVO APINAJÉ DE LUTO

VII ASSEMBLEIA DA PEMPXÀ

POLÍTICA